Avaliando freestyles como juiz

Anúncios de campeonatos, resultados e discussões sobre regras, freestyles e pontuações.

Moderadores: Forest, Daniel Avalos, Packer

Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor Rafael Matsunaga » 15 Nov 2011, 10:44

Pra facilitar a vida de quem quer atuar como juiz nos campeonatos, aí vai um guia do que avaliar em cada um dos critérios.

Técnica/Dificuldade:
Esse provavelmente é o critério mais fácil pra quem já joga há um tempo, já que depende só de avaliar as manobras. Leva-se em conta não só a dificuldade da manobra, mas também a fluência do jogador na manobra e a velocidade.

Velocidade tem que ser levada em conta porque se dois jogadores fizerem a mesma manobra, em geral fazer mais rápido requer mais técnica.

Fluência da manobra é o quanto o jogador "manja" mesmo da manobra. Isso é fácil de perceber quando você vê alguém acertando um suicide difícil na sorte, que invariavelmente sai desengonçado. É diferente de um Takuto, por exemplo, que dá pra ver que é consistente nos suicides e acerta sempre.

O que sobra é a dificuldade da manobra mesmo. Isso tem que ter experiência como jogador pra poder avaliar. Tem que saber que um combo de Braintwister na horizontal é bem mais fácil do que um Eli Hop horizontal, por exemplo. Tem que ficar atento também nas variações de manobra que o jogador faz. Tem jogador que faz Eli Hop curtinho e tem jogador que faz com a cordinha inteira.

Como a nota é pro freestyle inteiro, o que eu costumo fazer é ficar com uma nota na cabeça desde o começo do freestyle e vou ajustando. Se as primeiras manobras foram fracas, eu já fico pensando "por enquanto tá merecendo nota 3", aí se no meio do freestyle melhorar, já penso "já dá pra dar um 5", e se piora, volta pra 4 e assim vai. A vantagem é que você não precisa ficar lembrando do freestyle inteiro no final pra dar uma nota.

Exemplos:
Nota 0: freestyle com balancinho, um monte de mounts, braintwister lerdinho
Nota 5: Uns suicide ou outro, Spirit Bomb, uns combinhos comuns, grind basicão
Nota 10: Suicides difíceis acertados sem erro, combos complexos, compridos e rápidos, manobras horizontais difíceis

Performance:
A nota de performance artística pode ser dada até por alguém que não joga ioiô. Não importa a dificuldade técnica nem a originalidade das manobras. Importa como elas são mostradas e como o freestyle é montado.

Essa nota tem que levar em conta coisas como coreografia, estilo e expressão.

Coreografia é fácil, é a sincronia das manobras com a música, o ritmo do freestyle, como o jogador se movimenta com o ioiô e talvez pelo palco. O jogador não precisa dançar e andar pelo palco inteiro pra ganhar uma nota boa de coreografia. Se o cara quiser jogar fazendo uma coreografia de robô, por exemplo, não vou esperar que ele se mova muito. O que importa é a consistência, o conjunto.

Estilo é um pouco subjetivo, mas a nota varia de acordo com a execução e o quão bem o jogador expressa um estilo. Citando alguns exemplos, o Paul Han tem estilo rápido muito forte, o Kazuaki Sugimura é mais tranquilo. Os dois merecem uma nota parecida nesse quesito, apesar dos estilos completamente diferentes. Já um cara que só faz manobras parado olhando pro pé como se estivesse treinando sozinho no quarto, não está expressando estilo nenhum.

Aí entra a expressão também. Expressão é a maneira que o jogador apresenta a coreografia, o estilo e as manobras. Vários jogadores de alto nível se preocupam com isso. O Mickey é o melhor exemplo, ele nunca faz só a manobra, ele sempre mostra a manobra pro público do jeito que ele quer. Em vez de só completar uma manobra, ele completa ao mesmo tempo que olha pro público, por exemplo.

Essa é a nota que diferencia um freestyle bem montado e bem pensando de outro que é só uma sequência de manobras.

Nota 0: jogador jogando como se estivesse sozinho no quarto, fazendo as manobras só pra ele, com uma música qualquer que não tem nem o mesmo ritmo das manobras
Nota 5: jogador que já mostra as manobras pro público, escolhe uma música que combina mais ou menos com o estilo ou velocidade das manobras, mas sem coreografia preparada
Nota 10: jogador que dá show; cada manobra tem seu momento certo na música, o jogador deixa as manobras bonitas de ver e cada detalhe do freestyle foi pensado e executado com perfeição

Originalidade:
Esse é o quesito que costuma ser mais polêmico às vezes por não ficar muito claro o que é essa nota. O mais óbvio é se uma manobra é totalmente original ou não. Mas conforme os anos passam, são poucos os jogadores que mostram alguma coisa muito nova, então é preciso levar em conta também variações das manobras e a "idade" delas.

Sempre tem discussões porque alguém copiou as manobras do Jensen, copiou as manobras de não sei quem, etc. Claro que isso é importante, mas a escala do negócio começa com manobras de 60 anos atrás, cachorrinho, volta ao mundo, etc. Se um cara copiou o Paul Han, não vai ganhar nota zero por causa disso, já tá bem melhor do que um cara fazendo elevador. Ninguém vai ganhar nota 10 copiando manobra do ano retrasado, mas também não vai ganhar zero, longe disso.

Nota 0: freestyle com cachorrinho, volta ao mundo, estrela
Nota 5: manobras conhecidas, mas mais recentes. um pouco de slack, grinds comuns, superman, etc.
Nota 10: Tudo 100% novo, coisas que ninguém nunca pensou antes.

Manobras que a gente vê nos campeonatos daqui eu diria que valem entre 7 e 9 pros jogadores que ficam nas primeiras posições. Não são manobras inovadoras, mas tem alguma variedade e não são manobras super antigas também.

Penalidades:
Essa é a parte fácil. 2 pontos negativos se o jogador precisar enrolar o ioiô e 3 pontos se precisar trocar. Isso só vale se essas ações forem resultado de algum erro do jogador. Se o jogador trocar de ioiô porque quis fazer uma manobra diferente, não perde pontos.

Em casos de freestyles com 2 ioiôs (2A e 3A, principalmente), se o jogador trocar os dois ioiôs por causa do mesmo erro, costuma-se descontar 5 pontos em vez dos 6.

Acho que é isso, pessoal. Se tiverem alguma dúvida, podem mandar MP ou postar aqui mesmo.
Avatar do usuário
Rafael Matsunaga
 
Mensagens: 2463
Registrado em: 30 Jan 2002, 21:00
Localização: São Paulo

Re: Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor Victor H. » 16 Nov 2011, 00:30

nooossa,mais uma vez um topico excelente!

muito bem explicado e esclareceu muitas duvidas...
deu ateh vontade de ser juiz tbm
pra agr n sei se saberia julgar um fs da melhor maneira possivel,mas ainda pretendo ser d alguns daki a algum tempo =]

flww
Victor H.
 
Mensagens: 2540
Registrado em: 27 Abr 2006, 23:39
Localização: curitiba/PR

Re: Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor Barco » 11 Abr 2012, 14:04

Rafa, tenho uma dúvida quanto ao quesito originalidade.

Eventualmente, alguém inova e se cria um novo tipo de manobra que vira até ítem obrigatório nos FS futuros.

Por exemplo:

Tinha uma época que jogar lateral era inovador. Aí, varios jogadores começaram a fazer, e hoje tamos aí, jogando mais lateral do que frontal.
Aí, começaram a secar os rolamentos, yoyos sem resposta, então as manobras ficaram mais longas.
E assim, foi sendo a evolução natural da coisa. Apareceram Grinds, Slacks, Lacerations e Suicides.

Hoje, se joga muito horizontal! Criou-se um jeito novo de jogar, de dificuldade aumentada, abrindo toda uma gama de novas possibilidades de manobras.

Quando se fala em Criatividade/Inovação, quem monta uma manobra nova "Old School" compete de igual pra igual com quem cria uma manobra "Horizontal", por exemplo? Ou a inovação de estilos é necessária, também?

Valeu!

Um Abraço
Barco
 
Mensagens: 1880
Registrado em: 31 Ago 2004, 20:10
Localização: São Paulo

Re: Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor Rafael Matsunaga » 11 Abr 2012, 14:38

Uma manobra "nova Old School" dificilmente vai ter elementos novos o suficiente pra garantir uma nota alta de originalidade. Mas também considera-se que um cara que desenvolve seu próprio estilo old school merece uma nota mais alta do que um jogador que só faz as manobrinhas "da moda", que todo mundo faz.

Vide o Janos, da Hungria. Não faz manobrinhas de braço, nem combinho horizontal, é só slack o tempo todo, mas é coisa nova e diferente de todo mundo, aí a nota de originalidade vai lá pra cima.
Avatar do usuário
Rafael Matsunaga
 
Mensagens: 2463
Registrado em: 30 Jan 2002, 21:00
Localização: São Paulo

Re: Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor Rene Fiore » 11 Abr 2012, 15:26

OLA pessoal, sou novo no yoyo e tambem no forum,tenho muita vontade de chegar no nivel de montar um frestyle e disputar algum campeonato!! mais lendo os topicos me surgiu uma duvida...
e se eu quiser fazer um freetyle no ritmo da musica... por exemplo um Dubstep, hora manobras mais rapidas , hora mais devagar,pode isso ??
Rene Fiore
 
Mensagens: 1
Registrado em: 11 Abr 2012, 14:32

Re: Avaliando freestyles como juiz

Mensagempor HeitorPeres » 11 Abr 2012, 17:35

Primeiro de tudo, bem vindo cara!
Pode sim Rene, voce pode usar a musica que você quiser * contanto que nao ofenda ninguem * pode ser lenta, rapida, pode ser dubstep, love music, voce que sabe, oque voce achar melhor para usar junto com suas manobras você usa!
Pode fazer cortes na musica, pode botar efeito, pode imendar uma com outra, tudo pra fazer seu freestyle melhor! flw
HeitorPeres
 
Mensagens: 1159
Registrado em: 04 Out 2010, 01:03
Localização: São Paulo - Capital


Voltar para Campeonatos

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

cron